Pacientes brasileiros podem participar de pesquisa mundial sobre artrite reumatoide

Trabalho avaliará aspectos que vão além das dificuldades clínicas e funcionais, mas que interferem na rotina do indivíduo acometido pela doença

Os cerca de 2 milhões ¹ ² de brasileiros que sofrem de artrite reumatoide terão a oportunidade de participar de uma pesquisa internacional, que tem como objetivo, entender o impacto real da doença, com destaque para quatro aspectos fundamentais: trabalho, relacionamentos, atividades e aspirações.  Desenvolvida pela Eli Lilly, a iniciativa, denominada “A Artrite Reumatoide Importa”, possui perguntas que estimulam a discussão e incentivam ações sobre as questões que verdadeiramente importam e fazem diferença na rotina do indivíduo que sofre com a doença. Ao final do questionário, além de contribuir para um melhor entendimento da AR, o respondente poderá ter acesso e comparar as próprias respostas com as dos demais participantes.

“A partir dessa pesquisa, queremos elevar a expectativa do paciente sobre a vivência diária dele com a artrite reumatoide. O questionário traz aspectos importantes e práticos que podem elucidar os desafios reais enfrentados pelo indivíduo no dia a dia, que precisam ser revelados ao público em geral e compartilhados com o médico durante uma consulta”, explica Livia Firmino, Gerente Médica de Imunologia da Eli Lilly. Esta é a segunda etapa da pesquisa, que já contou com 5 mil participantes em países da Europa e Canadá. Agora, pacientes do Brasil, Argentina, Colômbia, México, Emirados Árabes, Arábia Saudita, Kuwait, Coréia do Sul e Taiwan poderão ter a oportunidade de participar da pesquisa por meio de uma plataforma que estimula a discussão sobre o que mais importa para o paciente com AR.

Serviço

Iniciativa: Pesquisa “A Artrite Reumatoide Importa”

Público: Pacientes com artrite reumatoide e médicos

Período: Disponível até o dia 30 de abril

Para participar, clique no link:

https://livingwithra.az1.qualtrics.com/jfe/form/SV_88GfSmhNpOi1yip?Q_Language=PT-BR&s=l&m=w 

 

Fonte: Tino | Relações Públicas

 

¹Marques-Neto JF, Gonçalves ET, Langen LFOB, Cunha MFL, Radominski S, Oliveira SM et al. Multicentric study of the prevalence of adult rheumatoid arthritis in Brazilian population samples. Rev Bras Reumatol 1993; 33:169–73.

²Alamanos Y, Voulgari PV, Drosos AA. Incidence and prevalence of rheumatoid arthritis, based on the 1987 American College of Rheumatology criteria: a systematic review. Semin Arthritis Rheum 2006; 36(3):182–8.