Vyttra oferece kits para diagnóstico diferencial de hepatites virais

Em 2010, a Organização Mundial da Saúde instituiu 28 de julho como Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, com o objetivo de informar sobre a doença e incentivar a busca por testes e tratamento. A hepatite é um processo inflamatório no fígado que pode ser causado pelos vírus A, B, C, D e E, e pode levar a problemas graves, inclusive à morte. Segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), no país estima-se que existam de 1,5 a 2 milhões de pessoas com hepatite, mas apenas 300 mil sabem que têm a doença.

A hepatite é considerada uma doença silenciosa, pois nem sempre apresenta sintomas. Por isso, são fundamentais os testes de rotina para a detecção e tratamento precoce. “Os tipos mais graves das hepatites virais são a B e a C, pois se não forem tratadas podem evoluir para cirrose e até câncer, por isso é tão importante o diagnóstico”, comenta Daiana Godoi, gerente de produtos da Vyttra Diagnósticos.

O diagnóstico laboratorial das hepatites virais inclui as provas da função hepática (TGO, TGP, Colinesterase e GamaGT) e a pesquisa de marcadores sorológicos específicos. Testes complementares para a detecção direta do genoma viral podem ser necessários para confirmação diagnóstica, determinação do genótipo infectante ou monitoramento da resposta à terapia antiviral.

No caso das hepatites C e E (sendo a E a com menor incidência no Brasil) os kits ELISA e ImunoBlot são os utilizados para triagem e confirmação de resultados. Líder brasileira na produção e comercialização de reagentes e equipamentos para o mercado de diagnósticos in vitro, a Vyttra é a única empresa a comercializar os kits para diagnóstico de hepatite E em todos os laboratórios de apoio do Brasil. “Os kits de ImunoBlot possuem controle de qualidade incluso na tiras de teste, o que auxilia o cliente a não perder testes com controles por rotina”, finaliza Daiana.

Fonte: Press à Porter Gestão de Imagem.